Web verde 8

Neste período de transição, acabamos deixando nossos leitores na mão. Às vezes um período de silêncio é necessário para reorganizar os pensamentos e descansar um pouco. Vamos começar outra vez? Inauguro minha participação na casa nova com uma compilação de posts e notícias que achei interessantes.

Anúncios e meio ambiente – Essa é antiga, mas não deixa de ser atual. Foi feita uma análise de anúncios publicados por grandes empresas no Dia do Meio Ambiente, que mostra que as empresas ainda têm um longo caminho pela frente no sentido de levar a sério as questões ambientais e precisam selecionar mais criteriosamente seus porta-vozes e gestores da área ambiental. Uma análise do número e da qualidade dos anúncios na área de sustentabilidade também mostra alguns pontos fortes e fracos dessa tendência.

Copenhague, uma cidade de ciclistas (em inglês) – Neste documentário da organização A Billion Bikes, dividido em 5 partes, podemos ver como o governo de Copenhague valoriza a cultura da bicicleta, a ponto de instituir uma política específica para melhorar a infraestrutura e aumentar a satisfação de seus ciclistas, bem como o número de ciclistas nas ruas. O documentário é de 2003, e imagino que eles tenham evoluído de lá pra cá neste sentido. Estima-se que tenham levado entre 50 e 100 anos para ter uma cultura ciclística avançada, mas agora que eles já testaram, aprovaram e mostraram como faz, as outras cidades só precisam copiar as iniciativas. “É preciso oferecer conforto, segurança e criar um clima que estimule as pessoas a pedalar,” diz Soren Pind, Secretário de Urbanismo da cidade. Ao longo do vídeo, quem fala detalhadamente sobre a política de Copenhague para o uso da bicicleta é o Secretário de Transportes. Igualzinho no Brasil, onde Secretários Municipais de Transportes falam com desenvoltura sobre malha e políticas cicloviárias. (suspiros) A parte 4 do documentário abre com uma declaração antiga de Steve Jobs, da Apple, em que ele menciona um estudo sobre a eficiência de locomoção de vários animais, inclusive o homem. Caminhando com os próprios pés, nós não fazemos bonito, e ficamos na parte inferior do gráfico. O animal mais eficiente de todos é o condor. Entretanto, a Scientific American decidiu analisar a eficiência de locomoção do homem de bicicleta, e o resultado foi que deixamos o condor no chinelo.

Bombril Eco? – O produto foi analisado pelo Verdade Inconveniente e não conseguiu provar que a atual campanha não passa de greenwashing. Na verdade, eu acredito que as empresas ainda estejam se adaptando a uma nova era – uma era em que consumidores conscientes sabem muito bem o que perguntar e onde pesquisar para destrinchar a verdade por trás das campanhas publicitárias. E uma iniciativa como a do Verdade pode ajudá-los a encontrar o caminho certo.

Blog interessante – Mais um blog para nos ajudar a analisar a fundo o compromisso das empresas no que diz respeito à sustentabilidade. O Testando os Limites da Sustentabilidade analisa a fundo os relatórios de sustentabilidade das empresas, e escreve para elas a fim de tirar dúvidas com relação a tópicos que não tenham ficado claros em tais relatórios. É um trabalho valioso, pois mostra ao público onde elas acertam e erram, e também chama a atenção das empresas para que sejam mais coerentes e transparentes em suas ações.

Presidente do Ibama pede demissão – Aline Ribeiro informa que houve críticas de outras instâncias do governo sobre o atraso na concessão de licenças ambientais, principalmente para a construção de usinas, e diz: “Não é a primeira vez que o atraso do licenciamento de Belo Monte gera demissões no órgão.” E eu pergunto: o problema está na administração do órgão ou nas usinas?

Tragédias – Chega a época de chuvas, e a história se repete: alagamentos, desabamentos e mortes. Entra ano, sai ano, pode mudar a região do país, mas é sempre a mesma história. E começa o jogo de empurra. O governo diz que é culpa dos moradores, que constroem irregularmente e se recusam a sair das áreas de risco. A população diz que o governo não dá nenhum apoio. A questão é complexa, e exige empenho e seriedade de todos. Passadas as chuvas, todo mundo esquece o assunto e ninguém faz nada de concreto. Até quando? Não podemos esperar o próximo período de chuvas para remediar, quando o que é preciso é prevenir.

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *