A fronteira da preservação

Exposição floresça o futuro é dela

A BG Brasil e a Conservação Internacional (CI) apresentam uma seleção de imagens produzidas em expedições por lugares remotos do planeta com o objetivo de conscientizar as pessoas a mudarem seu comportamento em favor da preservação e da proteção do mundo natural.

lindo Princesinha

Levei minha Princesinha à exposição, quando tirava fotos com ela, pensei: será que quando ela for adulta ainda existirão este macaquinhos lindos e esta natureza exuberante das fotos da exposição? Tomara que sim, não é adultos?

tartaruga que comeu sacola plástica replantando árvores que derrubou

Vale a pena conhecer um pouco das belezas naturais e riquezas de nosso planeta, que, se não forem preservadas, correm o risco de não existirem mais, como a tartaruga da foto, morta após ingerir uma sacola plástica, confundida com uma ameba, sua principal fonte de alimentação.

Este senhor participa de um programa, no México, e é pago por ONGS para plantar árvores que um dia ajudou a derrubar, a serviço das madeireiras. Hoje, trabalha na linha de frente do combate às mudanças climáticas.

ameaçada de extinção jacaré

As fotos da exposição, belíssimas, são dos fotógrafos Luciano Candisani, Sterling Zumbrum, Adriano Gambarini, Charles Young e outros mais. Estas fotos que eu tirei estão uma lástima, mas é só para documentar nossa ida até lá. A exposição está aberta no Jardim Botânico do Rio de Janeiro até o dia 9 de novembro. A entrada é gratuita.

Recicle os rabiscos das crianças

gizdecera gizceraderretendo
gizcoracao gizcera

Sabe aqueles toquinhos de lápis de cera que sobram? Seguindo a linha da reciclagem, que tal transformá-los em divertidos brinquedos? Assim a diversão continua. Vejam como fazer aqui, na revista Crescer.

A revista recomenda derreter os toquinhos de lápis cera no forno, mas eu prefiro derretê-los em banho maria (o recipiente que os contém dentro de outro recipiente com água e sobre o fogo).

Depois é só colocar a mistura em forminhas com formatos de bichinhos ou outros objetos. Ficam uma graça! A criançada vai adorar rabiscar e desenhar com giz de cera ecologicamente diferentes e divertidos.

Imagem: Lápis e forminha: minhas e giz de coração: daqui

Não temos tempo para pessimismo

Sei que a essa altura do campeonato já deve estar todo mundo sabendo do lançamento feito no último 5 de junho, em comemoração ao Dia do Meio Ambiente, do filme “Home”, de Yann Arthus-Bertrand, com narração em ritmo perfeito por Glenn Close. De qualquer forma, queria deixar aqui o trailler para incentivar os que ainda não assistiram.

As imagens são belíssimas, todas aéreas de ângulos bem inusitados e criativos. Verdadeiras obras de arte, que impressionam, chocam, levam à reflexão e esfregam na nossa cara e consciência a urgência de mudarmos nossas atitudes consumistas. A mensagem que se leva para casa é simples: não temos tempo para pessimismo. Nem para politicagem, mimimis e discussões infundadas. Há uma necessidade maior em jogo, a de que cuidemos de nossa casa, o planeta Terra. Precisamos agir em prol dele já.
O filme inteiro está disponível no Youtube até dia 14 de junho, e depois dessa data, direto no site deles.
(O Alex Primo fez uma boa resenha de “Home”, vale conferir.)

Lixeiras da Terra

A Liliane Ferrari tem em seu blog um texto sobre um projeto artístico de Jaime Prades simpático, de adesivagem nas lixeiras públicas de alguns bairros de São Paulo. E um convite do próprio artista: quem quiser colaborar na adesivagem, ele estará quinta-feira agora (feriado) na Praça da República, Sé e Largo do Arouche. Se eu estivesse em Sampa, ia adorar participar…

O Natal do Faça!

Este é um post coletivo. Fruto do debate, aqui no Faça a sua parte, sobre como poderíamos pensar em um Natal que nos aproximasse da natureza e ao mesmo tempo valorizasse a confraternização, com o resgate de valores talvez sublimados pelo consumo de presentes industrializados.
Vinte e cinco de dezembro não é uma data do Calendário Verde do Faça. Mas deveria ser. Até não muito tempo, essa época era admirada e comemorada pela humanidade como um símbolo do renascimento, momento em que o Sol, em seu ponto mais longínquo de nós, retornava de sua longa caminhada pelo céu. Parte da natureza, enquanto isso, aproveitava para descansar, para proteger-se do frio; para proteger suas sementes. A outra parte colhia a transbordante energia de um Sol que estava bem acima de nós. E parte da humanidade também se recolhia, e no recolhimento integrava-se, regojizava-se confraternizando. E parte da humanidade também transbordava, integrava-se, regojizava-se confraternizando. E os homens do norte e os homens do sul davam-se presentes da natureza, para lembrar que era uma época de alegria, de estarem próximos, uns aos outros, no frio ou no calor, confraternizando.
Hoje estamos afastados desse tempo. Vivemos no tempo do consumo, do consumo desenfreado de produtos industrializados, do consumo do 1,99 e dos produtos importados que trazem em si um enorme prejuízo para a natureza. Onde o ostensivo tem mais valor que o simples, o simples feito com as próprias mãos, com materiais que estão bem ali, na nossa frente.
Esse post não é um convite para uma blogagem coletiva. É um convite para um renascimento. Renascimento da confraternização como símbolo da nossa união com a natureza; com o frio e com o calor, com os presentes feitos da natureza. Queremos, sim, como ate não muito tempo se fazia, dar presentes da natureza. Presentes que digam a todos os que nos rodeiam o quanto ainda devemos ser gratos a esse Sol que vai e vem; a essa natureza, sempre exuberante, tanto no recolhimento das sementes quanto esplendor das suas flores e folhas.

Queremos saber que sugestões você teria para presentear seus parentes, amigos, colegas, enfim, a todas aquelas pessoas que você costuma presentear no Natal.

A campanha do Natal do Faça é bem simples: escreva um post no seu blog com dicas de como presentear de forma ecológica. Se não tiver blog, deixe a sua dica nos comentários.

seisgraus.gif
Os participantes concorrerão ao sorteio do livro “Seis Graus: o aquecimento global e o que você pode fazer para evitar uma catástrofe“, do renomado ambientalista Mark Lynas. (veja aqui detalhes sobre o livro e, inclusive, um trecho).

O sorteio é aberto a todos, inclusive aos membros do Faça a sua parte. No dia 24 de dezembro, os nomes dos participantes serão escritos em pedaços de papel e colocados em um recipiente. Um será retirado. O sorteio será filmado e o filme disponibilizado para quem quiser. No dia 25 faremos um post anunciando o vencedor e republicaremos o seu post. No mesmo dia 25 entraremos em contato para enviar o livro.

ATENÇÃO: sorterio realizado. Amanhã, 25, publicaremos o resultado.

Já estão participando do sorteio:

Estão participando, mas não do sorteio:

Cine Gaia no Jardim Botânico


Para comemorar seu bicentenário, o Jardim Botânico lançou seu primeiro 1o. Festival de Cinema Ambiental. A programação (que começou no último dia 31 de outubro e vai até 9 de novembro) é bem variada e inclui 40 filmes de vários países. Destaque para um documentário sobre o ambientalista gaúcho José Lutzenberger e O Mundo Segundo a Monsanto, da jornalista francesa Marie-Monique Robin – que pode ser também visto online, aqui. E o melhor: tudo digratis!

Cinema ambiental

Começa nesta quarta-feira a versão paulista do Festival Internacional de Cinema e Vídeo Ambiental (Fica). Boa pedida pra quem curte documentários ligados à sustentabilidade e meio ambiente. A versão paulista da mostra criada em 1999 em Goiás traz para a Sala Crisantempo, na Vila Madalena, (rua Fidalga, 521), os vencedores do 10o. festival que aconteceu em junho em Goiás Velho (GO) – terra da poeta Cora Coralina.
O evento vai até sexta-feira (dia 10 de outubro) e conta com produções do Brasil, França, Grécia e Dinamarca – são oito filmes (curtas, médias e longa metragens) com temas diversos:o papel dos madeireiros e fazendeiros nas queimadas na Amazônia; a poluição e crimes causados pela exploração de petróleo na Nigéria; a parceria de uma tribo africana com insetos; a transformação urbana da região do rio Yangtze (China) após a construção da hidrelétrica de Três Gargantas.

Flores e temperos em casa

Quando o Rodrigo Barba publicou, na Rede Ecoblogs, estas fotos lindésimas dos vasos Windowherbs, algumas pessoas ficaram interessadas (eu também!) em adquiri-los, mas, infelizmente, não encontramos, na época, local algum de venda destes lindos vasinhos que se fixam, através de ventosas, nas vidraças. Lindos demais!
Mas, há poucos dias, recebemos um comentário em que o leitor Edison, Técnico Agrícola, nos comunica que trabalha com hortas em escolas, empresas e residências e que está fazendo, junto com um parceiro, uma ferramenta para fabricar vasos similares ao Windowherbs. Ele está recebendo encomendas; então, quem estiver interessado, entre em contato com ele.

Quem quiser improvisar, no entanto, é possível cultivar hortinhas ou jardinzinhos, mesmo em vasos pequenos, que podem ficar sobre os aparadores entre a cozinha e a área de serviço. Tenho a horta na varanda de meu apartamento há alguns meses e, recentemente, aderi à idéia de usar plantas no aparador da área de serviço também. Estou adorando a idéia de ter flores e ervas em minha cozinha. Além de garantirem um toque especial aos pratos, elas também dão vida e embelezam os ambientes.

Festival do Minuto com temas ambientais


Que tal um Festival do Minuto com temas ambientais? A comunidade online inglesa Green Thing lançou a idéia em agosto e está recebendo filmes para avaliação. Os trabalhos concorrentes ao The Short Green Things Film Competition (Competição do Green Thing de Curtas) podem ter, na verdade, entre 1 e 2 minutos dentro dos seguintes temas: Stick With What You Got (Fique com o que vc já tem), Easy On The Meat (Devagar com a Carne) e Stay Grounded (Fique no Chão). O filme deve estar no Youtube, MySpace, Vimeo ou Yahoo Video. Os três vencedores de cada categoria serão anunciados pelo site em novembro. Os prêmio são câmeras digitas da Sony, celulares N95 da Nokia e divulgação pelo Yahoo, Nokia e MySpace.
Preparado? Então clique aqui e mande o seu vídeo!
Dois bons exemplos de curtas verdes:

GUSTY AND FORD, THE WALKING STORY

MEAT ROYALE